Gamifique-se: Aplicando o conceito dos jogos para otimizar a sua vida

Life is a Game (Android)

Não é novidade para muita gente que os jogos tem uma participação gigantesca em nossas vidas. Independentemente da fase da vida e personalidade, sempre nos envolvemos em jogos de esporte, tabuleiro, dominó, taco, bingo, bocha, videogames, aplicativos de PC e celular, entre outros. O conceito de um jogo existe há milhares de anos, de acordo com registros antigos dos povos egípcios, gregos e romanos. Desde essa época a cultura religiosa abominava a prática dos jogos por considerá-la pecaminosa, um grande incentivo a apostas, bebidas e profanação. Ao longo dos anos, os jogos atingiram um nível onde conseguem competir igualmente com diversas formas de entretenimento, culminando na indústria sólida dos tempos atuais.

Entretanto, a má fama acerca das consequências dos jogos para a vida humana permaneceu. Entre os riscos mais difundidos estão os hábitos violentos, a dívida constante que pode levar uma pessoa à falência e o vício que desliga a pessoa do resto da vida, essencialmente atrofiando a mente. Embora os jogos possam ser determinantes nessas situações, principalmente quando envolvem muito isolamento, inconsequência e procrastinação, existem diversos benefícios comprovados que os jogos podem trazer para a vida de uma pessoal, seja de forma pessoal ou profissional.

https://maisplay.com/quais-beneficios-games-cerebro-e-saude/

É possível concluirmos que as principais sensações que os jogos podem nos trazer são diversão, determinação e realização. Nós temos no fator diversão a possibilidade de relaxar, passar melhor o tempo, criar laços com pessoas (quando jogamos algo coletivo). Já a realização se resumiria ao que sentimos quando vencemos um jogo, seja sua etapa, missão, recorde, derrotar aquela pessoa invicta que ficou te provocando e duvidando da sua capacidade. Além disso, podemos receber uma cobiçada recompensa, seja física ou simbólica, que possa trazer um grande orgulho. É aí que entra o terceiro fator, que seria o mais poderoso: a determinação. Ficamos orgulhosos porque colocamos um esforço gigante em busca do melhor resultado para se chegar na recompensa, ou simplesmente para atingir tal objetivo que o jogo nos propôs. A partir do momento que enxergamos o que devemos fazer e o que podemos ganhar com isso, recebemos uma injeção de ânimo para chegar naquele ponto triunfante. Geralmente não há amarras neste momento. Somos inseridos em nosso próprio universo, controlando cada movimento, muitas vezes podendo encarnar em seres que consideramos mais fantásticos do que nós mesmos.

Na nossa vida cotidiana nem sempre paramos para pensar nesses aspectos. A tendência é associar os jogos a algo prazeroso e uma ferramenta que nos desliga totalmente dos problemas da vida. Embora isso seja uma verdade e igualmente benéfico, trazer o que sentimos enquanto jogamos para a vida real pode ser muito mais produtivo. O primeiro passo seria adotar o raciocínio que tudo na sua vida pode ser um elemento de um jogo. Aquela sua tarefa pendente de lavar as roupas pode se tornar uma “missão” (ou “quest”, como preferir), que terá uma recompensa de uma hora descansando no sofá fazendo o que você gosta. Quando tiver que lidar com um problema muito difícil, pense em uma etapa difícil que você enfrenta normalmente em um jogo e mentalize a força de vontade e motivação que você teve para seguir em frente e vencer aquele desafio. Qualquer obstáculo que se meter em seu caminho será o adversário que você precisará derrotar para atingir a meta desejada.

No campo profissional já temos incorporado o conceito de Gamification, já utilizado por muitas empresas como forma de engajamento e capacitação de funcionários. A ideia de transformar a rotina de trabalho e entregas em missões e recompensas que remetam a um jogo é extremamente cativante, pois traz uma analogia a algo divertido, que traz uma satisfação e motivação no que está sendo feito. Imagine a situação em que você visualiza claramente todas as tarefas que precisam ser resolvidas naquele dia, os pontos ou recompensas que cada uma pode te fornecer e o quanto você está evoluindo no processo. Se conseguimos aplicar isso bem no ambiente de trabalho, porque não na forma como conduzimos nossa vida pessoal?

https://educacaoinfantil.aix.com.br/saiba-como-utilizar-o-gamification-na-educacao/

Os jogadores das antigas podem automaticamente pensar naquele jogo de tabuleiro onde você tirava no dado se teria uma casa, carro, filhos, dívidas, faturamento, a cada momento que avançava pelo tabuleiro. Cada momento do jogo era incerto, você podia perder bens ou ganhar novas oportunidades à medida que seguia adiante. Naturalmente isso parece muito familiar, se pensarmos que o jogo simula, de fato, a vida humana. Se invertermos essa lógica, a vida também pode simular um jogo. Imagine um ou mais objetivos que você tem na sua vida. Liste-os de forma que pareçam objetivos finais de um jogo. Use um arquivo do Word, uma planilha, um bloco de papel, o que preferir. É importante usar a criatividade aqui para que a tarefa traga um tom mais divertido e motivador para você. Sugestão: se uma das metas é “lavar a roupa”, descreva como “exterminar a sujeira das roupas” ou “purificar as vestimentas”. O importante é que o processo possa proporcionar os fatores de diversão, determinação e realização de forma mais leve.

Faça uma nova lista com o que você quer fazer para o seu próprio prazer, seja assistir alguma série, cochilar, brincar com seus pets. Essa sua lista será definida como as recompensas de cada missão. Tendo essas duas listas preenchidas, comece a agrupar as missões na ordem que deseja completá-las, de forma que se adaptem a seu tempo livre. Em meio a elas adicione as recompensas, pensando nos horários que deseja ter um intervalo para o lazer. Isso pode tornar seu dia mais produtivo e de forma mais organizada e divertida. É possível também agregar processos de metodologia ágil no seu dia a dia, como criar sprints de Scrum ou Kanbans para cada tarefa que se deseja aplicar. Se você quiser você pode criar um ticket de missão para “Limpar o banheiro”, e incluir um ticket de recompensa “Assistir TV comendo Doritos” com a tarefa vinculada como um pré-requisito. Só mude o progresso de uma assim que terminar a outra. Existe também a liberdade de reanalisar cada sequência de missões e substituir alguma que pode ser feita em outro momento. Segue a recomendação de manter a criatividade para que seja mais prazeroso passar por cada momento.

https://anetq.dk/superbetter/

Na teoria tudo isso parece funcionar bem, mas é preciso ter cuidado com os eventuais contratempos, que assim como os problemas de trabalho podem colocar em risco nosso progresso e saúde mental. Felizmente, existem vários aplicativos que podem facilitar o processo e ajudar a manter a produtividade. Um deles é o SuperBetter, desenvolvido pela game designer e autora Jane McGonigal, que defende em suas palestras e obras que os jogos podem ser um ótimo tratamento para a saúde mental e aprimoramento de cognição e inteligência colaborativa. Além de ajudar na organização do dia a dia, o aplicativo foi desenvolvido como uma forma de ajudar pessoas enfermas, com tendências suicidas ou depressão. Outros exemplos são Habitica, Mindbloom, Chorewars e LifeRPG. Então, o que está esperando para entrar nesse jogo e buscar seus objetivos da melhor forma possível?

Originally published at https://artur-balestro-64467.medium.com on May 10, 2022.

--

--

--

Impulsionar pessoas para inovar o mundo

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
SOUTH SYSTEM

SOUTH SYSTEM

Impulsionar pessoas para inovar o mundo

More from Medium

🚪Smart Home Update and Home Theater

Redberry Lake Biosphere Region Week 4- Piping Plover.

Blurred lines of Two demons

Dexing Signals from noise — Personal Reflection