FOMO de tecnologia: Como lidar com a síndrome dos super informados

O termo Fear Of Missing Out (FOMO) se tornou bem popular nos últimos anos, especialmente na era das redes sociais e da informação mais rápida. Para os que não sabem, FOMO significa o medo de estar desatualizado, de perder alguma informação que, na concepção da sociedade ou da pessoa que possui o medo, é essencial. Geralmente o remédio para essa condição é acessar todo e qualquer conteúdo online que se consiga consumir humanamente, apenas para se manter atualizado. Um dos problemas mais sérios disso é formar uma enorme pressão mental na pessoa, que ficará constantemente correndo contra o tempo em milhões de postagens de blogs, artigos, vídeos, memes, para que não seja a pessoa “perdida no rolê” nos assuntos entre amigos e/ou colegas.

Entretanto, as consequências do FOMO não se limitam a ver aquelas notícias do momento que todo mundo está falando para poder ficar a par dos assuntos. Profissionais da área de tecnologia podem se ver perturbados pelo FOMO em seu ambiente de trabalho e no processo de crescimento profissional. Existem pelo menos dois pontos bem relevantes onde o FOMO atua, que podem trazer prejuízos significativos em questões tanto pessoais quanto profissionais.

A ansiedade de responder tudo

Quem nunca teve aquele “momento popular’’ no qual seu celular começa a apitar diversas vezes quando recebe notificações de mensagem? O que uma pessoa geralmente faria neste caso? Verificaria uma por uma e responderia de acordo. Agora, o que uma pessoa com tempo mais apertado faria?

Selecionaria as notificações mais importantes e iria filtrar o resto.

O que você acha que uma pessoa com FOMO faria? Se tivesse um trabalho com tecnologia e conexão constante com diversos times e canais de comunicação, diversas mensagens chegando o tempo todo, demandas urgentes em andamento, uma reunião com o cliente por vir em alguns minutos. Se o FOMO estivesse em efeito, a pessoa iria olhar para aquele monte de ícones vermelhos de mensagem nova e querer acessar cada uma, com medo de perder alguma informação importante caso chegasse a ignorar. Embora seja possível se perderem informações valiosas por uma falta de resposta, essa atitude pode ser bem improdutiva, com a probabilidade muito alta de cair na armadilha do “tudo é prioridade”. Os profissionais que não são bons com multitasking teriam sua atenção muito dividida e seu rendimento acabaria afetado.

A busca incessante pelo conhecimento

Nas áreas da tecnologia a cultura de aprendizado é um combustível forte para a FOMO. O lema se resume a “esteja sempre atualizado”, o que faz muitas pessoas desejarem possuir conhecimento de todas as tecnologias atuais para não perder nenhuma oportunidade no mercado. Imagine uma situação em que novas tecnologias são inseridas a cada dia, com milhares de conteúdos para se aprofundar e diversas curvas de aprendizado. Ao tentar absorver o máximo possível de tecnologias, como novas linguagens, o profissional corre o risco de não conseguir manter o foco em aprimorar uma habilidade, devido a estar trabalhando com muitas ao mesmo tempo.

Além disso, trabalhos podem ficar inacabados ao momento que se troca um projeto por outro com conceitos mais atuais. Ficar muito tempo trabalhando em uma coisa só significaria estar perdendo o que o mercado está oferecendo, porém possuir vários projetos inacabados por falta de tempo poderia ser ainda mais catastrófico no psicológico de um profissional. Outro agravante para o caso são as vagas de emprego, principalmente as para profissionais a nível técnico. Muitas delas são compostas por listas intermináveis de tecnologias, fazendo o profissional acreditar que não é bom o suficiente. O que ele acaba fazendo é uma busca incessante por conhecimento, para evitar estar por fora daquela tecnologia bem específica que está na moda do mercado.

A cada nova tecnologia aprendida, outra é deixada de lado, porém aumentando o leque de opções, o que pode causar uma sobrecarga de informações e prevenir o profissional de aprimorar determinada tecnologia para que possa atingir suas metas de conhecimento prático. Imagine ficar sempre buscando novas tecnologias porém não conseguindo terminar um projeto em uma delas por causa do surgimento de uma nova a todo o momento.

Esses são apenas dois aspectos onde a FOMO pode ter uma grande influência. Em um ambiente de trabalho uma pessoa pode ter a mania de ler todos os e-mails recebidos para não arriscar perder nenhum detalhe, ou revisar uma documentação inteira para que não falte detalhamento técnico na hora da execução. Essas práticas, embora úteis para o conhecimento, podem consumir muito tempo e causar uma sobrecarga no profissional, que se verá com menos tempo para cumprir suas metas.

Como é possível resolver esse problema? Existem algumas metodologias que podem controlar e evitar o sentimento de FOMO, que seriam similares ao tratamento de qualquer tipo de ansiedade.

  • Olhe pro agora

Uma grande parte da causa do FOMO é comparar o seu futuro em relação a como as outras pessoas estão vivendo, como os profissionais estão aprendendo coisas novas e conseguindo cargos melhores, ou simplesmente a reação dos outros a seu respeito, caso fique desinformado sobre algo. Pense no que você tem de importante hoje, como você está vivendo seu dia. Não há nada de errado em pensar no seu futuro, desde que evite se basear em um futuro quisto perante a sociedade, e sim em um futuro que o seu perfil de pessoa busca para si. Experimente manter o foco no que você realmente quer aprender e fazer hoje.

  • Analise suas limitações

Olhe pra dentro de você e avalie o tempo que você tem disponível a cada dia. Faça um esquema de tudo que você vê como possibilidade de acompanhar, seja para aprender ou se distrair. Vídeos, artigos, perfis nas redes sociais, cursos… faça uma lista baseado no que você realmente quer naquele exato momento do dia, baseando-se na reflexão anterior. Compare o seu tempo disponível com a lista que você fez e classifique o mais importante. Pense nisso como um kanban, uma lista de prioridades que em processos de metodologia ágil já são bem usados.

  • Filtre as informações

Com a lista de informações definida por ordem de importância, é hora de filtrar o que você realmente vai conseguir consumir no dia proposto. Para alguns essa pode ser a etapa mais difícil. Não tenha medo de deixar conteúdos de fora, lembre que isso faz parte da vida humana. Se os julgar importantes, coloque-os na lista do dia seguinte, mas não se esqueça de remover algo caso isso comece a suprimir seu espaço de lazer. Se estiver acostumado em trabalhar com Scrum, pense que seu dia é uma sprint, e você precisa encaixar cada objetivo seu lá dentro. Inevitavelmente alguma coisa será empurrada para os próximos dias. Remover esses itens da lista pode acabar liberando a sobrecarga emocional, da mesma forma que riscar itens da lista de supermercado traz um certo alívio por cada missão cumprida. Caso consiga cumprir todos os objetivos mais cedo, é possível fazer uma nova etapa de seleção e adicionar novos itens na lista, mas faça isso apenas se estiver bem mentalmente.

  • Evite se comparar aos outros

Olhar para o colega que parece estar sempre atualizado de tudo, que é bom em multitasking e pode até te julgar por não estar por dentro da informação do momento pode causar uma grande pressão sobre você mesmo. Pensar que você precisa estar no mesmo nível que essa pessoa dificilmente será algo saudável. Entenda que todos são diferentes e tem seu próprio ritmo de busca pelo conhecimento. Assim que perceber suas limitações, trabalhe com base nelas e esqueça os demais. Possivelmente eles tiveram seus próprios sacrifícios (quem sabe até maiores que os seus) para que pudessem estar em seu nível atual.

Há muitas outras formas de auxílio no combate ao FOMO, que servem tanto para o trabalho quanto para a vida pessoal. É importante ter em mente que sempre vai existir alguém melhor que você em qualquer profissão e que você não precisa ser igual a ninguém. Não tenha medo de perder algo na vida, porque isso pode significar um ganho muito maior no futuro.

Originally published at Artur Balestro — Medium on October 19, 2021.

Impulsionar pessoas para inovar o mundo

Impulsionar pessoas para inovar o mundo