Desmistificando investimentos além da poupança

Objetivo:

Instigar as pessoas a pensar em investir seu dinheiro em opções mais rentáveis que a poupança.

Introdução:

O ano de 2018 foi um divisor de águas para mim. Foi quando finalmente me organizei financeiramente para que pudesse sobrar, no mínimo, um percentual fixo do salário. Com isso, as primeiras perguntas que me fiz foram: então tá, e o que fazer com esse dinheiro? Utilizar para viajar? Festejar? Comprar um carro melhor? O que posso, afinal, comprar agora que juntei uma quantia de reserva bacana?

E, além dessas erguntas, me surgiu a questão que me fez replanejar todo o meu futuro: Existe investimento que renda mais que poupança?

Essa pergunta acabou me levando a várias formas diferentes de perder dinheiro, mas também me levou a conhecer, finalmente, a nossa Bolsa de Valores. Esta, é claro, não deixa de ser uma boa forma de perder dinheiro, porém também pode ser uma excelente fonte para potencializar sua renda.

Bolsa de valores:

Bolsa de Valores é basicamente o mercado organizado onde se negociam ações de empresas (públicas e privadas) e outros valores mobiliários. Conseguimos fazer as negociações na bolsa através de uma corretora de investimentos.

Existem várias corretoras de investimentos, como Clear, XP, Easyinvest, Banco Inter, Rico, etc. Cada uma tem suas próprias vantagens e desvantagens.

Mas sério, Rafael, a Bolsa de valores? Tá louco, vai só colocar dinheiro fora! Não vê que esses investidores acabam perdendo tudo!? É fria! Não caia nessa…

Essas foram algumas das coisas que ouvi antes de começar a investir na bolsa, mas mesmo assim decidi arriscar para ver no que dava. Hoje, posso dizer que só tenho um arrependimento: não ter começado antes.

Investindo em Ações e Fundos imobiliários:

Na Bolsa de Valores, conseguimos investir em diversos tipos de ativos, como: ações, fundos imobiliários, minicontratos, opções, ETFs, entre outros. Os ativos que comentarei são, especificamente, as Ações e Fundos Imobiliários.

Antes de fazer qualquer investimento, é muito importante fazer uma reserva de dinheiro para emergências. Esta é necessária para que, caso aconteça qualquer imprevisto, tenhamos dinheiro para usar de forma imediata, sem precisar mexer no investido. Isso nos traz mais tranquilidade e segurança para investir sem medo.

Cada papel, seja ação ou fundo imobiliário, possui inúmeras métricas e fatores que são importantes serem analisados antes de comprarmos. Existe a análise técnica e fundamentalista, porém neste artigo não vou explicar como fazer uma análise completa, porque o objetivo principal aqui é tentar entender como esses investimentos funcionam. No entanto, ao final do artigo, deixo algumas opções de casas de análises que fazem todo este trabalho para a gente.

Ações:

A primeira coisa que vem à cabeça quando falamos em Bolsa de Valores são as famosas ações. Uma ação nada mais é do que uma parte de uma empresa.

Vou usar como exemplo a Magazine Luiza: o código da magazine na bolsa é MGLU3. Se você jogar isso no google, a primeira informação que aparecerá será algo do tipo:

No momento em que fiz a pesquisa para escrever este artigo, o preço da ação da empresa estava 21,64 reais. Então, suponha que, após dar uma estudada na empresa, gostamos bastante e decidimos, de fato, investir nela. Como faço e como ela pode me render dinheiro?

Entramos na nossa corretora e lá compramos 1 papel de MGLU3 pelo preço de 20 reais, por exemplo. Neste exato momento nos tornamos sócios da Magazine. A partir daí, este preço investido na ação vai variar bastante e podem acontecer dois cenários:

Cenário bom: A empresa cresceu e mostrou excelentes resultados. Agora o papel que pagamos 20 reais passa a valer 30, ou seja, no momento estamos com um lucro de 50%!

Cenário ruim: A empresa não cresceu nada e mostrou resultados terríveis. Agora o papel que pagamos 20 reais passa a valer 10, ou seja, no momento estamos com um prejuízo de 50%!

Em ambos os casos grifamos a palavra momento, pois nossos papéis continuam lá investidos como nosso patrimônio. Podem ser tanto muito valorizados quanto desvalorizados. Sabendo disso, precisamos ter uma estratégia bem definida para conseguirmos o máximo de lucro possível, dentro de seus objetivos.

Swing Trade: É o mais comum, que é quando compramos ações para vendermos em alguns dias, semanas, meses ou até anos.

Day Trade: Quando a ideia é comprar e vender o papel no mesmo dia. Neste caso é para pessoas mais experientes que realmente entendem muito do mercado e estudam bastante.

Dividendos: Existem algumas empresas que são boas pagadoras de dividendos. Neste caso geralmente não vamos ver uma valorização muito grande no valor da ação, porém em algumas datas do ano ela dividirá parte dos lucros dela com você.

Lembre-se de que investir em ações é um investimento do tipo arriscado. Da mesma forma que pode nos dar um retorno absurdamente alto, não é bom se iludir, porque da mesma forma que ganhamos de uma hora para outra, também podemos perder em um dado momento. Então é importante sempre tomar cuidado e ter uma boa noção sobre cada decisão que for tomada.

Fundos imobiliários

Também conhecidos como FIIs, são basicamente papéis que nos pagam aluguéis mensais (dividendos). É como se você comprasse parte de um imóvel já alugado e começasse a receber parte desse aluguel.

Da mesma forma que ações, temos vários papéis a serem analisados. Existem os mais arriscados, que geralmente pagam aluguéis mensais melhores, e há também os mais seguros, que pagam um aluguel um pouco mais baixo. Então como funciona na prática?

Vou usar o fundo RECR11 como exemplo. Se você pesquisar pelo código RECR11 no site www.fundsexplorer.com, lá irá ter bastante informações importantes sobre o fundo, como mostra a imagem abaixo:

Esse papel está custando 102,40 reais e o último aluguel que ele pagou por papel foi 1,20 real, representando praticamente 1% de rendimento ao mês. Neste caso, esse fundo nos paga o aluguel todo dia 15. Outro detalhe importante é que tanto o aluguel quanto o valor do papel são variáveis, ou seja, os valores podem tanto aumentar quanto cair, por isso é importante analisar bem antes de investir, assim como acontece com as ações.

A grande vantagem desse tipo de investimento é que todo mês recebemos um rendimento bacana, que geralmente é bem superior aos rendimentos que temos na poupança. Esse investimento é mais seguro, por exemplo, que investir em ações, e os valores variam menos também.

Muitos não gostam de Fundos Imobiliários, pois eles não têm tanto potencial de crescimento quanto as ações, porém o fato deles pagarem aluguel todos os meses os torna uma ótima opção de renda extra visando, por exemplo, a aposentadoria ou a reaplicação para usufruir dos juros compostos.

Minha Estratégia Pessoal:

Encontre sua estratégia ideal de acordo com seu perfil. Por exemplo, minha estratégia hoje é tentar dividir igualmente meu patrimônio entre ações e FIIs. Às vezes algumas ações valorizam bastante, aí vendo e o lucro invisto em FII para potencializar meu rendimento fixo mensal. Os FIIs, por outro lado, é muito difícil eu optar por vender, já que a idéia é sempre comprar mais deles para aumentar a renda passiva. Além disso, todos os aluguéis que recebo dos FIIs garantem que eu tenha sempre um aporte mensal para aumentar meu patrimônio. Como comentei no início do artigo, me organizei para sempre sobrar uma parte do salário para conseguir investir, assim consigo melhorar ainda mais meu aporte.

Ah, mas se eu quiser comprar um carro novo? Ou quiser viajar?

Posso vender alguma ação para isso. Posso parcelar e pagar as parcelas com minha renda passiva. Enfim, quando se consegue alcançar essa organização, tudo se torna mais possível.

Mas Rafael, são muito caros esses papéis, não tenho como investir!

Bem, há papéis de todos os preços, desde os 2 reais até 2k (foi o mais caro que vi). O importante é criar um hábito de sempre investir, mesmo que pouco. Como ocorreu comigo: quando eu comecei a investir, sempre aportava de 50 a 100 reais por mês. E claro, todo mês recebia só alguns centavos de aluguéis de rendimento no mês. No entanto, com o passar do tempo e conforme fui crescendo profissionalmente, o valor desses aportes também foram aumentando, até que um dia meus rendimentos por mês acabaram indo de centavos a reais. E chegou um momento em que eu já consigo reinvestir meu rendimento e, aí sim, começa o efeito bola de neve e conseguimos ver nosso patrimônio crescer exponencialmente.

CONCLUSÃO:

Vejo muitas pessoas do meu círculo social com dificuldade em saber encontrar onde investir sem ser na tradicional poupança. Então resolvi escrever este artigo para tentar oferecer dar uma alternativa às pessoas e instigá-las a pensar mais nisso também, por ser realmente muito importante para o nosso futuro.

Não sou expert e nem analista, muito pelo contrário, sou iniciante. Meu objetivo neste artigo foi tentar incentivar as pessoas a arriscar mais para que consigam um rendimento melhor, quem sabe juntando dinheiro para uma aposentadoria ou simplesmente para investir em algo com chance de um bom retorno.

Os boatos que falam sobre investidores quebrarem, botarem o patrimônio todo fora, enfim, todas essas histórias até possuem um fundamento. Depois de bastante tempo investindo, já acabei indo do céu ao inferno. No início passei por grandes momentos de alta, que foram só alegria! Porém, também já deu para passar por momentos tensos, como quando vi meu patrimônio se desvalorizar em 50% em 2020, depois de ocorrer uma grande queda na bolsa por conta da pandemia do coronavírus. Por isso é importante ter a cabeça no lugar, investir em ativos que te tragam confiança e ter paciência.

E para finalizar, antes de investir em algum papel, reforço que é sempre importante fazer uma pesquisa sobre ele e seu setor. Isso te trará mais confiança e tranquilidade. E outra dica importante, não tenha medo de começar!

Espero ter ajudado a refletir sobre o assunto. Abaixo deixo algumas considerações finais.

Considerações:

  • Não tenha medo de começar;
  • Após adquirir algum ativo na bolsa, é obrigatório declarar no IR;
  • Você não ficará rico na bolsa, o que enriquece é trabalho e conhecimento; investimentos só ajudam a potencializar;
  • Além da reserva de emergência, é bacana ter uma reserva de caixa também para o caso de aparecer alguma oportunidade de investimento repentina;
  • Não vire o chato dos investimentos (como eu).

Alguns apps que sugiro para controlar a carteira e acompanhar os papéis da bolsa:

  • Real valor;
  • Yahoo Finanças;
  • Guru;
  • TradeMap.

Bons sites de referências:

Algumas casas de análises:

  • Suno Research;
  • Empiricus;
  • Eleven Financial Research;
  • Nord Research;
  • Ativa investimentos.

Originally published at https://rafael-krentz.medium.com on July 5, 2021.

Impulsionar pessoas para inovar o mundo

Impulsionar pessoas para inovar o mundo